Quem sou eu!?

Descrição imprevisível aos pensamentos de quem as pode ler.
Como as respostas sem pergunta devem ser.
Não posso deixar de sentir e sonhar,apenas por sua meta,
Seu objetivo é curvo, minha Subjetividade é reta.

Não é que eu não queira compartilhar minha vida.
O que acontece é que é comigo que eu preciso ser verdadeiro.
E eu não vou desistir de mim para ser uma parte de alguém.

Não se atreva me definir apenas em momentos.
Ficarias em dúvida com seus próprios pensamentos.
Minha insanidade é perfeita,
A alma aqui se deleita,
De um veneno sem cura,
Eu sou metáfora pura.

Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca.

É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva toda...

Estou atrás do que fica atrás do pensamento.
Inútil querer me classificar: eu simplesmente escapulo.
Gênero não me pega mais.Além do mais a vida é muito curta para eu ler todo o grosso dicionário afim de,por acaso descobrir a palavra salvadora.No fundo,a gente ta sempre querendo desabrochar,de um jeito ou de outro.



(Eu preciso parar de usar ponto final no lulgar da virgula)

1 Atrevidos:

Arthur D'mello disse...

quem somos nós senão um amontoado de fragmentos das experiências vivenciadas?