BOM DIA NEUROSE

Ouvindo:Roberta Sá - Mais alguém


E quanto mais e maiores motivos para não sentir, ele e a vida me dão... 
adivinhem? Sim, o amor cresce. Irresponsável, sem alimento, sem esperança e de uma burrice enorme. Ainda assim, forte e em crescimento.

...Eu sou sim a pessoa que some, que surta, que vai embora, que aparece do nada, que fica porque quer, que odeia a falta de oxigênio das obrigações, que encurta uma conversa besta, que estende um bom drama, que diz o que ninguém espera e salva uma noite, que estraga uma semana só pelo prazer de ser má e tirar as correntes da cobrança do meu peito. Que acha todo mundo meio feio, meio bobo, meio burro, meio perdido, meio sem alma, meio de plástico, meia bomba. E espera impaciente ser salva por uma metade meio interessante que me tire finalmente essa sensação de perna manca quando ando sozinha por aí, maldizendo a tudo e a todos. Eu só queria ser legal, ser boa, ser leve. Mas dá realmente pra ser assim?

Vence quem passa por essa vida rindo. E se o preço que se paga por ser um pouco feliz é ser um pouco idiota,dane-se.


Ouvindo: Pierrot - Los Hermanos
(T.B) 

 

5 Atrevidos:

Thais, disse...

Muito bom seu texto, belas palavras que você coloca...

Gostei do blog, sucesso...

http://vdgarealidade.blogspot.com/

Se quiser fazer uma visitinha...

J P F O X disse...

Muita gente (me incluo às vezes nesta turma), vive de forma certinha e sem estripulias para não aparecer. Mas o que há por trás disto tudo é uma grande tristeza. Ser feliz requer aparecer, requer se mostrar e isso às vezes não consigo fazer. Resultado: estou ainda à procura da minha felicidade.
Abraços...

indivídua disse...

resumindo, você é alguém normal

Conversa Miúda disse...

Fuçei na comunidade, achei esse blog, e nem era o de cima a ser comentado uhasuhu!

Adorei a descrição e esse post em particular!

Parabens, ele é otimo!

Grande beijo,

e se tiver a fim de retribuir a visita: www.conversamiudaa.blogspot.com

;)

David Aragon™ disse...

Que nada! O mundo é um calvário, um vale de lágrimas e injustiças. Como dizia o Camões:

"Os bons vi sempre passar
No mundo graves tormentos
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamento."

CHINFRAS e TALS